quarta-feira, 1 de maio de 2013

O perfil actual do nosso Estudante Universitário



Este artigo surge na sequência de um assunto que tem sido debate nalguns círculos de opinião pública, principalmente a nível das academias. Moçambique tem registado nos últimos uma grande massificação do Ensino Superior que aparece aliado à política e estratégia do governo nessa área da Educação, que afinal de contas é uma boa aposta, aposta esta que vem acompanhada também com um crescente número de universidades e institutos superiores quer sejam privados ou públicos.

Mas, o cerne o artigo tem a ver com aquele que é o perfil do estudante que tem estado a ser formado nestes estabelecimentos de ensino superior, pois é caso para dizer que uma boa camada dos Estudantes que frequentam a universidade hoje em dia não tem a dimensão do que significa ser um Estudante do Ensino Superior, falo isso com alguma mágoa, pois também sou um Estudante do Ensino superior.
O estudante de hoje tem ido muito contra aquilo que é uma das estratégias do Ministério da Educação que é o ensino e aprendizagem, ou por outra, ensino centrado no Estudante, onde aqui temos o Docente como moderador e o Estudante como figura principal no processo, sendo este o construtor do seu saber pela investigação, crítica e criatividade sobre diversos assuntos, mas o que se verifica nas nossas Universidades é um tipo de estudante que ainda vê no professor como um pastor, onde este deve pregar toda aula e no final da mesma o Estudante dizer um simples “Amém” como se fosse uma aula de sapiência ou uma oração.
 Verifica-se um tipo de estudante que funciona como uma caixa de ressonância que tende a gravar tudo o que o Docente diz e quando chegar à devida altura, nesse caso na hora do teste fazer a devida reprodução de tudo o que ouviu do Docente, este Estudante não tem gosto e jeito pela escrita, tudo isso fruto das redes sociais e as abreviaturas que constantemente faz, o Estudante de hoje não se preocupa em comprar um livro, aliás, quando lê algum assunto acadêmico é por indicação ou obrigação do docente, o Estudante de hoje não tem acompanhado a vida social do país, não critica e não participa de fóruns de debates, mas ao final de quatro anos dirá que é um licenciado do ensino superior. Ademais, o Estudante de hoje em dia não tem desenvolvido a sua capacidade intelectual de criatividade quer seja em escrever uma opinião de qualquer que seja o assunto.
Verifica-se por volta do início de cada ano, uma grande marcha de exames de admissão rumo a uma “vaga” no banco da Universidade, “vaga” esta que depois não é feita valer por este tipo de Estudante, que esquece que deixou milhares para trás que pudessem ocupar o seu banco, e com isto, podemos verificar que para entrar na Universidade é uma luta ferenha, mas a sua saída também é, pois só saem os que realmente aplicam-se.
É caso para concluir dizendo, o Estudante de hoje não sabe o que é ser Superior e não faz valer esta palavra “Superior” podendo confundir-se em algum momento a sua atitude e capacidade com a de um Estudante do ensino médio.
E, mais não disse!

1 comentário:

  1. Olá, como docente do ensino superior no Brasil, quero ratificar as palavras acima pois o mesmo sentimento temos nós. O estudante universitário realmente não entende o que é um Ensino Superior, onde ele é dono do seu tempo e que sem pesquisa não há crescimento intelectual.

    ResponderEliminar